Ministro disse que Brasil está mal colocado em estatística do Banco Mundial Meirelles está em Nova York e se encontrou com investidores nesta quarta

henrique-meirelles-agbr-1280x720-e1476649695450

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta quarta-feira (12) que o Brasil está trabalhando com o Banco Mundial para melhorar o ambiente de negócio no Brasil. Segundo Meirelles, alguns dos pontos que dificultam os negócios no Brasil estão relacionados a questões trabalhistas e de terceirização.

Nesta quarta, o ministro participou de reuniões com investidores em Nova York. Ele concedeu entrevista coletiva a jornalistas entre um encontro e outro.

“Existem os grandes itens e uma série de pequenos itens [que atrapalham o ambiente de negócios no Brasil]. Entre os grandes itens, com certeza, uma série de itens trabalhistas. Aí, eu acredito, por exemplo, que a terceirização é algo que pode ajudar bastante”, disse o ministo.

Está sob análise do Senado uma proposta, já aprovada pela Câmara, que regulamenta a terceirização no país. O presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), chegou a dizer que o projeto seria colocado em votação no segundo semestre deste ano, mas defendeu mudanças no texto aprovado pelos deputados que, para Renan, propõe uma terceirização “ampla, geral e irrestrita”.

O projeto da Câmara possui vários pontos polêmicos, entre eles o que permite a empresas terceirizar qualquer atividade, inclusive as chamadas “atividades-fim” dos empreendimentos. A proposta estava parada na Câmara havia 11 anos, e foi resgatada pelo presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

Durante a entrevista, Meirelles também destacou que o Brasil está mal colocado em uma estatística do Banco Mundial sobre facilidade de se fazer negócio. Segundo o ministro, muitas das dificuldades encontradas são “pequenas”. Ele, porém, afirmou que há muito interesse de investidores no Brasil.

“Há muito interesse no Brasil. Interesse nas oportunidades de investimentos e otimismo crescente com a aprovação das reformas, particularmente do ajuste fiscal com a aprovação em primeiro turno da PEC 241”, afirmou.

O ministro afirmou que os investidores demonstraram interesse na área de agricultura e fizeram muitos questionamentos sobre como vai ser a permissão para compra de terra por estrangeiros e também na área de infraestrutura.

“Tiveram muitas perguntas sobre infraestrutura, quais são as regras, quais as mudanças. Esse programa [de concessões] é algo que acreditamos que vai ter sucesso e nós temos enfatizado que agora está se prevendo um processo com regras estáveis, previsíveis e que possa dar segurança jurídica para os investidores”, disse.

Anunciado no dia 13 de setembro o programa de concessões do governo inclui a concessão ou venda de pelo menos 34 projetos nas áreas de energia, aeroportos, rodovias, ferrovias, mineração e saneamento básico.

Mercado de capitais
Meirelles explicou ainda que o Brasil está trabalhando com o Banco Mundial em um projeto para melhorar as condições do mercado de capitais para o lançamento de papéis de longo prazo. Os papéis, no caso, são dívidas emitidas para arrecadar financiamento para as obras de infraestrutura.

Fonte: G1

0 Likes
454 Views

You may also like

Comments are closed.